Arquivo

dois dias

DV_miolo2

“Mattia Denisse é uma figura discreta no meio artístico português mas esta publicação, e as exposições que a antecederam, demonstram a originalidade e o fulgor do trabalho deste artista.

Publicado pela Dois Dias Edições, jovem editora muito empenhada na direção discursiva dos livros que decide publicar, este Duplo Vê – o Tautólogo é o resultado de uma compilação de desenhos (o desenho é o meio de expressão eleito por Denisse), segundo a editora “Duplo vê é essencialmente um livro de desenhos e, ao mesmo tempo, o nome em extensão da letra W (inspirado no título de George Perec, W ou les souvenirs d’enfance) e também o “duplo ver” de um Deus vesgo. Duplo vê, O Tautólogo (nome dado ao demiurgo criador da tautologia) poderia ter um outro subtítulo: “Ensaio sobre o estrabismo de Deus”.”

“Guarda-livros” por João Seguro in Contemporânea

Ler artigo

Anúncios

DUPLOve

Lançamento ZDB, 18 de Junho, 18h30
Livro de desenhos de Mattia Denisse 
com traduções gráfico-literárias de Rui de Almeida Paiva e Sofia Gonçalves.

Duplo Vê — O Tautólogo é um dos tentáculos do projeto Duplo Vê, que se compõe também pelo site dupluvedupluvedupluve.com e pelas exposições apresentadas na Casa das Histórias – Museu Paula Rego (29 de setembro a 13 de novembro de 2016) e Galeria Zé dos Bois (22 de abril a 24 de junho de 2017). 
 
Duplo vê é essencialmente um livro de desenhos e, ao mesmo tempo, o nome em extensão da letra W (inspirado no título de George Perec, W ou les souvenirs d’enfance) e também o “duplo ver” de um Deus vesgo. Duplo vê, O Tautólogo (nome dado ao demiurgo criador da tautologia) poderia ter um outro subtítulo: “Ensaio sobre o estrabismo de Deus”.

P1060369

“Toda a obra literária está, a cada instante, exposta à iniciativa do leitor. A cada instante, ele pode reagir à sua leitura efectuando substituições que afectam ou o detalhe da obra ou a sua evolução.”

Paul Valéry “Advertências” in Fragmentos narrativos

+ info

840x600

Um diário chega a casa, algures, num bairro de Lisboa, e põe-se a existir. Os dias sucedem-se. São anotados. Num desses dias lemos: “Eis um diário. Não é mais que isto. É procurar, em consciência, uma palavra e depois outra e depois outra.

“Arroios. Diário de um diário”
de José Maria Vieira Mendes
design: Ana Teresa Ascensão

Leitura por Paula Sá Nogueira e André e. Teodósio

Lançamento livro:
Rua das Gaivotas 6 (Rua das Gaivotas, 6 — 1200-202 Lisboa), 19h